Pular para o conteúdo principal

Postagens

A Vida É Boa

A vida é boa, contanto que

Acreditemos em contos de fadas

Enquanto respiramos o ar da paixão

Até, como confete, acariciando

Em veludo de noites deliciosas!

Enquanto nos sentimos infinitos

Das alturas de sua juventude imortal

Onde as almas comandam a cordialidade

Mas não há medo ou sombras à frente!

A vida é boa, contanto que você não tenha que mentir!

E dos sonhos e contos de fadas

Irmos ao encontro da realidade...

Lucia Direitos Autorais
Lei nº 9.610/98

Postagens recentes

De Improviso

Há quem espere o meu silêncio

E eu já lhe dei o silêncio

Já há muito tempo

Parte do princípio de que

Eu só fui parte do seu silêncio também

Será uma longa espera

Mas hoje quem se importa?

Só fito o mar

Assim como as ondas vem

Elas vão

E carrega consigo

Coisas vãs
Lucia (De Improviso) Direitos Autorais
Lei nº 9.610/98

Me Lembrei De você

Eu me lembrei de você hoje...
Não consegui segurar as lágrimas...
Rasguei as imagens como flores
Tempestades loucas
Frio em minhas mãos
Gelo em meu coração
Tão significativo quanto você não pode ouvir...
Solidão trabalha por dentro
Olhos chorando e cansados
Um vento que flui da minha janela...
Tremor súbito, duas gotas de lágrimas...
E vibrações sem sentido...
E isso congela o mito do silêncio...
Eu ainda estou com muito frio...
Diga...
Que tipo de tempestade é você?
Diga-me como eu me molhei na chuva
E eu não posso me secar...!
Como foi, porque eu ainda tremo...!
Fatia silenciosa o poeta está cortando...
Enquanto escrevo...
Apenas lágrimas se tornam vida na minha janela...
Eu só quero te ver...
Viver para você...
Eu amo tudo em você
Não posso dizer o mesmo de você...
Seria essa diferença entre nós
Eu sinto sua falta às vezes
Hoje eu tenho duas palavras
Você e sem você...!
Lucia Direitos Autorais
Lei nº 9.610/98

Borboleta

Às vezes deixo que as minhas asas apareçam
Assim deixo para trás tudo o que é realidade
E vou pousar em algum lugar, para além...
Naquele mundo de sonhos meio que esquecidos
Nesse mundo distante respiro toda a paz
E minha alma é abençoada
Pena!
Nesse mundo você só pode voltar em um sonho...
Eu vou saber como ficar
No reflexo do silêncio
Nos passos do vento
Na palma da mão do inverno
Sonhando e voando como borboleta
Lucia

Direitos Autorais
Lei nº 9.610/98

Dê-Me

Dê-me sua memória
Como uma memória
Olharei para ela sem me cansar
Deixe que seus lábios calem
Eles dirão o que você não dirá em palavras
Dê-me sua risada como lembrança
Vou me deliciar por horas
Afinal, não há maior felicidade no mundo
Quando podemos e começamos a rir
Dê-me a memória das tuas mãos tenazes
Estou pronta para estar nelas por longo tempo
Como uma criança embalada em um berço...
Dê-me um coração pela sua memória
Irei me esconder da tristeza nele
Me esconderei do frio
Irei me aquecer...
Dê ou não dê, não importa
Você está comigo
Você sempre está
Dentro do meu coração
E você sabe bem!
Lucia

Direitos Autorais
Lei nº 9.610/98

Palavvras Soltas

Não curto Cartel
Não curto a panelinha
Não curto bullying
Não curto a indiferença
Dá-se a impressão
Que nesse Mundo de meu Deus
Só existe meia dúzia
To ficando enojada disso
Se esse seria o termo certo
Aqui se pode fazer a diferença
Tem-se o poder nas mãos
Mas pra onde todos irão
Não haverá esse poder
Não haverá diferença não
ELE vê tudo...
Portanto pense bem irmão
Lucia
(De Improviso)
Direitos Autorais
Lei nº 9.610/98

Artistas Virtuais

Curioso às vezes o Mundo e seus residentes
Tem gente que nasceu para ser artista
Mas também tem gente que pensa ser artista
Os artistas a gente reconhece
Quando estão no palco interpretando
E quando interpretam suas vidas
Agora aqueles que pensam ser artistas
Não interpretam muito bem
Quando tentam se esconder
Numa identidade que não é sua
No virtual eles existem em baciadas
Esquecem-se de que por mais que disfarcem
Tem algo que fica sempre em destaque
É como caligrafia, ou seja, assinatura...
Digamos as impressões digitais
Virtual não tem isso
Mas se tivessem
Esses artistas “entre aspas”
Estariam perdidos...
Cabe a nós observar e desvendar
O que tem atrás de cada artista
Nesse palco chamado virtual...
Lucia
(De Improviso)

Direitos Autorais
Lei nº 9.610/98

Senhora Atitude

Já li tantas palavras bonitas, me encantava e fazia o coração pulsar e a emoção aflorar.  Com o passar do tempo, as palavras bonitas permaneceram e continuaram a brilhar, mas são palavras, e sempre voam num rajar de vento ou até mesmo em uma brisa leve das estações.  Elas são autênticas para quem realmente as vive e sentem, do mais, pra mim hoje, são meras palavras, dependendo de onde vem.  É o que sinto infelizmente.  Senhora atitude, se pronunciou e tenho observado ela com muita atenção.  Não sei se é impressão ou se realmente está acontecendo, mas perdi ou talvez nunca os tivesse, foi só uma mera sonhadora que através da imaginação e um coração pensou ter, o então chamado por mim de “AMIGOS”.  Mais e mais eu me convenço de que se você tem DEUS dentro do coração, você terá sempre um amigo, mesmo em tempos difíceis.  A vida segue, e eu sigo, mesmo nas quedas, pois eu sei que ELE vai me dar à mão e me reerguer.  Não me faço de vítima, mostro a realidade, mostro o que sinto, aprendi coisas qu…

Você

A água vai lavar os traços do vento

Vai apagar as chamas

Mas nada pode apagar a memória

Eu me lembro do seu calor

Eu me lembro com o cuidado da vida

Eu me lembro de voar nas asas de seu amor

Comigo você sempre estará

No meu coração e nos meus pensamentos

Em algum lugar lá fora, pela eternidade

Não há mais ninguém pra mim

Do que você...
Lucia Direitos Autorais
Lei nº 9.610/98

Caixinha De Surpresas

A vida é uma caixinha de surpresas
Eu sei bem disso, mas o coração ainda não aprendeu
Sei que temos de estar preparados para tal fato
Sei que nem sempre são flores
Existe quem pinte seus dias assim
E eu me encaixo em alguns momentos
E é quando você em momentos pretos
Leva um solavanco e vem à decepção
Você percebe que aqueles que te rodeiam
Nunca foram e nunca vão ser aquilo que pintam
É o que é por conveniência
Ser você mesmo requer muita força
Mas sei-me por no meu devido lugar
Sei quando não sou bem vinda
Sei quando é o momento de me retirar
E de me calar...
Sei em quem posso confiar
Entro no casulo para depois
Voltar a ser borboleta e voar
Foi sempre assim, desde menina
E assim será até quando Deus quiser...

Lucia Direitos Autorais
Lei nº 9.610/98

Margaridas

Somos flores em um campo comum
Isso todos nós entendemos
De tudo mais somos aparentemente inocentes
Deus enxerga e estabelece tais termos
Para assim tornar nossas vidas mais agradáveis
Apenas é a nossa natureza
Se assim não fosse
Não seríamos margaridas
Fechando nossos ciclos
Para depois recomeçar
Até lá, estamos um pouco cansados
À noite nos serve para dormir
Certamente é melhor nos renovarmos
Do que morrer, mesmo estando vivos
Mas para alguns morremos inocentes
Ou talvez não, depende de como a noite
Se derrama sobre nosso jardim
Para cada um de nós...
Nunca saberemos do que sentiremos falta
Ou talvez saibam, mas nada se fará.
Lucia
Direitos Autorais
Lei nº 9.610/98