Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2012

Como manter a música tocando

A minha paixão é música. 
Procurando por música nos portais da vida, encontrei essa canção “How do you Keep the Music Playing”, simplesmente linda, agora eu me pergunto por que não a escuto nas rádios? Como que lindas canções ficam às vezes perdidas? 
Bem, essa música “How do you Keep the Music Playing” é uma canção composta por Michel Legrand , com letra de Alan e Marilyn Bergman para o filme Best Friends, 1982.  Encontrei alguns interpretes da mesma, Tony Bennett, Barbra Streisand, Jhonny Mathis, Frank Sinatra, James Ingram, Shirley Bassey, Celine Dion, entre outros…  Espero que apreciem, a música no vídeo está sendo interpretada por Jhonny Mathis, com legenda em inglês e português, abaixo do vídeo também tem a tradução da mesma...

Como manter a música tocando
Como fazê-la durar
Como evitar que ela se desgaste
Rápido demais?
Como entregar-se a alguém
Sem perder-se no caminho
Como ter sempre coisas novas e interessantes
A dizer?
E, como sabemos que estamos sempre mudando
Como …

Tem sido assim

Cheia de sonhos que ainda posso realizar. A vida tem sido assim, como que o palco de uma peça que não acaba nunca. Por vezes, deixo mesmo que escape, livre. 
Tenho uma vida à minha frente que às vezes, me esqueço de pintar. Quantas vezes eu não me abandono, enquanto a oportunidade me sussurra ao ouvido. 
Já chorei muitas vezes por entre os meus sorrisos. Fiz o vento o meu conselheiro e confidente por entre os caminhos da vida que não pude controlar, de um tempo que me escapa pelos dedos.  Vivo dias de sol e tempestade, de calor e de sombra, de alegria e desilusão. Nasço muitas vezes e morro muitas mais, para seguir um ciclo de cada amanhecer.  Construo castelos na areia para que o mar os derrube na fúria das suas marés. Sonho porque é tão imprescindível quanto o ar que respiro, porque é deste meu sonhar que eu sobrevivo. Sem o sonho nada faz sentido...  Escrevo a minha história com caneta a prova d’água em folhas recheadas de amor, e sei que posso chorar tanto de alegria, como também de tr…

Saudade

Hoje me passou um pequeno filme da minha vida quando menina. Pude ver com nitidez a minha imagem no quintal de casa, rodando o meu pneu velho, fazendo manobras, subindo, descendo rampas, estacionando. 
Depois eu sentada no canteiro em formato “L” cavando a terra recolhendo tatuzinhos e colocando dentro de um vidro para depois brincar com eles. Eu achava tão bonitinho eles andando e a um toque eles viravam bolinhas.  Tempos bons, tempo de sonhos, tempo em que um pneu velho e os tatuzinhos eram meus amigos de todas as tardes e começo de noite.  Cresci, conheci o mundo lá fora onde me diziam que existiam amigos (as) foi onde eu me deparei com a decepção. Quis voltar àqueles amigos de minha infância e não pude.  Saudades dos meus amigos, saudades do meu pneu e dos meus tatuzinhos...

Saudade eterna que não volta jamais
Saudade de mim, das tardes eternas
Em que passei junto com vocês
Lembro-me das tardes de sol
Recordo os momentos felizes
De quando estávamos juntos
Recordações eternas
Guardadas …

Escrevo

É pra você que escrevo, nesta manhã  Porque deixou em mim um tanto de você
Faz-me sentir tua alma no balanço das folhas
É pra você que escrevo, no reflexo do espelho
Pois é na inversão da imagem que você sorri
Porque deixou em mim um tanto de você no silêncio da madrugada
E é para você que escrevo, por acreditar que além da mente
O corpo também voa, e cada passo deixa de ser
Um sonho cruel no rastro de teus segredos
E que escrevo, para dizer que aprendi
Com este misto de saudade e ansiedade impregnada
Na ausente presença delineada na janela embaçada
Porque você deixa em mim um tanto de você, e é para você que escrevo
Para que saiba que no leito das tuas palavras
Eu me deito e encontro sossego, seco meu pranto e adormeço...