Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2011

Somente por seus olhos

Olhos que não vejo, mas sinto
Sabe como ninguém mais
Atravessar as fronteiras do impossível
Ler a alma, rir o riso
Chorar o pranto
Que desabafa as dores
Enfrenta leões e cobras
Como pedra a cantar
Espanta com força as sombras
Tem na alma a realeza
A beleza doce do mar calmo
Onde o destino possa levar
Você tem a essência das flores
Respire na velocidade do pensamento
Sem que tenha que contar o tempo
Que seja dia ou noite
Viva intensamente

Li e Reli

Li e reli a textura do corpo
Todos os parágrafos e pontos da língua
Trêmula nua em frenética aventura
Pela epiderme dos lábios
Sonhei um horizonte tatuado
Nas pétalas que te revelam
Pintura de um mar ausente
Alimento distante e presente
Nas curvas da minha alma
Fui represa de sonhos passivos
Hoje despertei enluarada
Sem trégua, tenho o vento
Zunindo ao meu ouvido
Exigindo que minha voz dedilhe
E transforme numa fração de segundos
Argumentos adormecidos e inexperientes traços
Em rebeldes paisagens de ficção e realidade

E daí

Imagem
Hoje é sexta-feira, e daí?
Se o marasmo é o mesmo
Se hoje é como ontem
A corrupção é a mesma
A fartura continua na mesa de poucos
E a fome persiste rondando tantos
Hoje é sexta-feira, e daí?
Se os jornais estampam
As mesmas manchetes
Só mudam as datas
E o dono do sangue que escorre...
Hoje é sexta-feira, e daí?
Se a história se repete
Trocam os atores
Ficam os instrumentos...
Hoje é sexta-feira, e daí?
As ruas, baladas
E os bares ficam lotados
Todos curtem, ninguém se importa com a ressaca
Sequer percebem que caem na mesma rotina...
Afinal, amanhã é sábado, depois domingo...
Mas, hoje é sexta-feira, e daí?



Atrás da janela

Quando se menos espera, é quando mais se precisa, contudo não encontrei onde e chorei no meu próprio ombro. Sou dona dos meus pensamentos, vem de mim o poder que me levanta “Sou senhora dos meus ideais”.

Olhando atentamente aquele vulto sou eu mesma, por detrás de uma janela e que esqueceu que a vida se passa fora dela, que as lembranças não deve ser esquecidas, mas que a vida tem que ser vivida fora daquela janela.

Não posso e nem devo deixar escapar, o tempo passa tão depressa e logo a noite vem...

Na canção

Nos olhos um intenso desalento Em minhas mãos gestos vagos Dentro de mim, tudo o que eu sou Na alma a melodia suave A canção me conduz a versos Com rimas tristes e incertas E o silêncio que criei Fez esta dor que ocultei
Agora tento esquecer
Quase tudo o que eu sei
Vivo assim, onde o tempo te guardou...

Qual foi o artista...

Imagem
Qual foi o artista que pintou a Lua, tão bela e se esqueceu de guardar a aquarela? 
O artista foi um alguém enamorado que deixou na tela pintada todo o seu amor e que lançou da terra aquela cor, que é feita do sentimento que lhe vem de dentro da ternura que perdura da alma, que se acalma e que nos acalma quando olhamos a lua, tal e qual como ele a pintou, pois ele estava enamorado do sonho e dos enamorados se juntou, e foi assim que o brilho da Lua perpetuou pelas mãos de um pintor que de tão louco, por sua obra se apaixonou…  No coração uma canção, no ar este belo luar e tudo o que senti vivo neste momento aqui porque mesmo estando longe do mundo estou e sempre estarei perto de você… A lua é a aquarela de um sonho sem fim, em que alguém pintou nela as cores de um poema em latim. Deixou tais escritos para na descoberta o povo ver, sabendo de antemão que só um sonhador os iria entender. Esta Lua trás a todos o poder de sonhar, mas para isso o sonhador vai ter de lutar, na busca pelo sonh…

Do fundo do meu coração

O que direi quando todas as palavras deixarem de fazer sentido? Quando já não souber distinguir o passar dos dias? Quando eu esquecer mesmo de como se sente? O que acontecerá quando as horas se fundirem diante dos meus olhos até à eternidade… e não puder mais vê-las ou, pelo menos entendê-las, pelo que são? Que sentirei quando deixar de me sentir… quando deixar de olhar o espelho à procura do meu reflexo porque já não saberei sequer que tenho imagem? Que sucederá quando o rio de recordações, que tenho alimentado em sonhos nestes anos todos secarem?… Quando os cadernos me devolverem páginas vazias, quando as próprias palavras me olharem... Suplicando-me por um momento de tempo e não souber reconhecer o seu pedido? Do fundo do meu coração, eu não sei...

Pai

Bom amanhã será dia dos pais, eu já não tenho o meu pai, perdi o meu único amigo. Não abandonem jamais seus pais, não importa a circunstância... Escrever sobre meu pai, eu iria precisar de muitas páginas. Já fazem 4 anos que ele nos deixou. Meu pai foi tudo em minha vida, foi o meu único e melhor amigo. Ele sempre dizia que nossos melhores amigos, são os pais e devo admitir que ele não errou.  Eu daria tudo, mais tudo mesmo que tenho para tê-lo de volta comigo e com todos de minha família... Muita coisa se passou desde que faleceu.Evoluí como pessoa, com os valores que me ensinou.Ensinou-me a ser humilde.... Ensinou-me a ter orgulho.... Ensinou-me a lutar.... Agora entendo a dimensão do seu amor ..Faço questão de lhes dizer isso! Sabe , muita coisa se passou na minha vida, boa e má... Todas as decisões que tomei sempre foram feitas com maturidade e consciência. Nunca mais deixei de lutar por aquilo em que acreditava e nunca mais deixarei de o fazer. Entrego-me de corpo e alma pelas caus…

Tempo

Não é novidade para ninguém, que vivemos dentro de uma realidade histórica que conhecemos como passado, presente e futuro. Quando olhamos para traz, vislumbramos o passado. Podemos observar relembrar acontecimentos marcantes. Boas recordações, outras nem tão boas. Registros históricos e acontecimentos marcantes. Há quem diga que o homem que ignora a história, pode ter crise de identidade. Quando olhamos para traz, descobrimos as origens de quase tudo o que nos cerca hoje, por este motivo não podemos ignorar o passado. Vivemos hoje, nos alimentando do fruto que brota das sementes plantadas pelo passado. Plantamos hoje, sementes que em um futuro próximo vão germinar crescer e dar frutos para o amanhã. Portanto podemos concluir que passado presente e futuro, fazem parte de nossa vida sempre. Não importa o papel que ocupamos, seja como protagonista o coadjuvante.



Não me importa os caminhos
Outros sentiram meus passos...
Neles já vi o que irão ver
Neles senti coisas que irão sentir...
Que…

Esta sou eu

Imagem
Entrego os restos de uma alma que grita num suspiro Confesso os sonhos escondidos e que assim não machuco Na calada da noite que contorna o meu rosto através do vento  E transporta até à sua moradia e funciona como um consolo...  Nada sou e por nada ser, passeio como um vento brando  E é no anoitecer que crio cores e deixo de me sentir perdida Pois é o abraço que procuro no vazio, sem receber É o carinho que outrora era a minha chama e me fazia viver...  Agora eu sou essa vela que não cessa o seu brilho Pois tenho comigo a força que me encaminha sem me julgar E me diz que o nada em tudo se torna, mesmo que ninguém veja E traz com ele as pessoas que me acarinham e me protegem...  E é nesse leito de paz, que poucos têm a permissão de conhecer Que descanso a alma, ferida, que implora para não sofrer E é na vida por mim esquecida, mas que eles avivam num sorriso Que renasço em cada momento e adquiro toda a força que preciso...  Esta sou eu, apenas com a pintura que é a minha alma Num rosto em que a cor pe…

Podemos fazer tudo novamente

Aqui deitada procuro pela pessoa que um dia fui
Olho para longe e encontro o que desmanchou
Na água que teima em ser um reflexo De pensamentos e sentimentos do meu coração No encontro do corpo que foi o que já não sou
Reparo na mão que entrelaça com a que amou
E penso no carinho que deveria sentir
Mas que se esfuma no ar, sem me atingir
Foram momentos passados Calor de uma paixão que acabou
São memórias preciosas
Descobertas carinhosas, que se guardou
O bater de um coração, que tudo parecia enfeitiçar
Agora uma mera aquarela, que se olha sem se tocar
Aqui, procuro descobrir, onde tudo se perdeu
Olho para o longe, para aquela imagem que se esqueceu
Mas a resposta não existe não se pode encontrar
A única coisa que resta é a certeza
Da visão a se apagar...

Cante, dance...Viva

Dança comigo aqui mesmo, sob as poucas estrelas que ainda ousam sair à noite apesar do frio. Aperta-me bem juntinho a você para que cada batida do seu coração me guie os passos até casa…Cante ao meu ouvido estrofes desse silêncio que a tantos oprime, mas que me conforta… não me interessa se sabes de cor todas as palavras ou se inventa algumas pelo caminho, mesmo que o ritmo da minha respiração possa vir descompassado… Nada mais importa que não sentir a alma em cada nota… Olhe-me nos olhos para que, perdida no amor, possa amar também o meu reflexo… Não pense sequer no amanhecer que se aproxima. Se a lua é clave, o sol será maestro nesta nossa melodia… Dançaremos a eternidade em uma vida.