Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2017

Momentos preto e branco

Imagem
Leio alguns textos que às vezes penso que foram escritos pra mim, ou eu os escrevi, de tão parecidos com a minha vida, os meus sentimentos, então não me digam que sou estranha, que sou triste, pois se assim for, o mundo está cheio de pessoas iguais a mim. Surpreendo-me algumas vezes comigo mesmo, tenho momentos em preto e branco, e momentos em cores, mas não sou como muitos que circulam por aí, às vezes mostrando estar feliz, onde na verdade queria um lugar para chorar, ou mesmo dar socos no primeiro que aparecer pela frente...  Não sei fingir.  Os momentos em preto e branco aparecem assim por nada, tipo um estralar, e pronto, ou pode até ter um motivo aqui e ali, mas é bem passageiro, logo aparece algo para desviar este meu estado e as cores voltam a reinar.  Quando estou assim gosto de ficar em silêncio, ouvir uma boa música, quietinha e às vezes arriscar a escrever minhas mesmices, que na realidade, são meus sentimentos se colocando através das palavras.  Não posso me queixar da vida, n…

Música

Imagem
A música é nada mais que
O eco de nossas vidas
Seja a nossa, a deles, a de todos
Traduzida dentro dos corações
Como uma poesia
Terminada ou não
Que ao ouvi-la voltamos a sorrir
E aquece-nos em uma noite fria
Feridas são reparadas
Coração bate em harmonia
Com a nossa alma, perfeita orquestra
Música com diferentes tons de amor

(Lucia)
Direitos Autorais
Lei nº 9.610/98

Inverno

Imagem
Quando tudo
O vento sopra
Silêncio e escuridão
Na estação onde tudo morre
Onde o céu mostra
O sofrimento que se sente
Os dias parecem longos
As noites escuras e escuras
Deu-me ao meu coração
Certa nostalgia
De um dia que me foi roubado
Onde você me acompanhou
Na poeira de neve
Apesar de que onde vivo
Nunca vi a neve cair
São invernos sem neve
Dias tem sido de sol
E as noites frias
Lembram-me você
Esse meu coração poeta
Parece sem alegria
De um destino que parecia meu
Agora sem folhas
Sem canções para aquecer
A solidão do inverno longo
E das noites frias...
(Lucia)
Direitos Autorais
Lei nº 9.610/98

Vendedora de Sonhos

Imagem
Eu sou uma vendedora de sonhos
Vendo sonhos de um lado para outro
O custo dos sonhos não é nada
Não há valor e moeda que se possa comprar
Apenas o teu querer sonhar
Sonhos que escolhi nos jardins do céu
Sonhos de fragrância doce
Com melodia da alma
Sonhos se você comprar
A vida imergirá em amor e paz
Ganhará a simpatia de todos
Céu, mar, terra, ar, oram
Pela tua vida alegre
Eu sou uma vendedora de sonhos
Vendo sonhos sem custo algum
Exceto seu amor e carinho
E o teu querer sonhar
E assim fazer o Universo cantar...
(Lucia)

Direitos Autorais
Lei nº 9.610/98

Amor Terno e Doce

Imagem
Escrito no coração para durar
Sonho, esperança e aspiração
Como luz das estrelas brilham
Maré vem e vai com o vento
Mas o amor é para sempre
Especial, como o tempo
Que caminha de mãos dadas
Na alegria e paz na terra
Tempestades virão e passarão
Atravessando colinas e vales
Corações sobreviverão juntos
Sempre e para sempre
Dançarão entre as estrelas
Nos olhos do amor, na luz da alma
A luz divina que preenche e guia o espírito
Para o jardim com flores
Borboletas no bater das asas
Junto ao perfume das rosas
Na sintonia da música doce
Nas lacunas do tempo
Para sempre...
Lucia
Direitos Autorais
Lei nº 9.610/98

Poesia Minha

Imagem
Olhando a imagem

Eu até me arriscaria

A escrever uma poesia

Assim como tantas outras

Ela seria minha

Quem se importaria

Se não apenas esse coração bobo

Diante de uma madeira

Dura e gelada

Nasce um coração em flor

E com ele duas vidas

São elas as borboletas

Coloridas e minhas amiguinhas

Só bobagem minha

Lucia

Direitos Autorais
Lei nº 9.610/98

Chove

Imagem
Pingos mostrando ecos na mente
Como o som do ponteiro do relógio
Que marca o tempo lentamente
Som minutos, segundos, batidos
Com os de meu coração
Melancolia abate em minha alma
Num emaranhado de emoções
Memórias de ontem que se juntam a hoje
Tudo permanece profundamente
Esboçado nos lábios um sorriso
Chove ...
A melancolia doce e úmida
Acaricia minhas memórias
Lentamente vou voltando a realidade
O som da chuva de uma canção antiga
Que, nota por nota, traz a esperança
Abrindo a porta do meu coração
Vou deixando a melancolia
Suavemente de volta à vida
De volta a realidade...
(Lucia)
Direitos Autorais
Lei nº 9.610/98